BLOG

QUEM PODE FAZER A BARIÁTRICA?

QUEM PODE FAZER A BARIÁTRICA?

A cirurgia bariátrica (popularmente conhecida como “redução de estômago”), por mais que seja uma cirurgia bem conhecida, ainda é um procedimento cirúrgico e, por causa disso, possui certas restrições sobre quem pode ou não realizar tal procedimento.

Conforme determinação da OMS (Organização Mundial de Saúde) e da SBCBM (Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica), é preciso ser analisado pelo menos 3 critérios antes do paciente receber a indicação cirúrgica: IMC, idade e tempo da doença. Cada um desses itens deverá ser avaliado pelo médico responsável pelo caso, onde todos os detalhes serão verificados pelo profissional e todo o corpo médico que cuidará do paciente.

E o que esses três critérios querem dizer?

Cada um dos itens solicitados como pré-requisito para estar apto a receber a indicação de cirurgia é importante, pois eles vão determinar a necessidade e urgência do procedimento. E um dos critérios iniciais é verificar qual o Índice de Massa Corpóreo da pessoa.

O IMC serve para avaliar o peso do indivíduo em relação à sua altura e assim indicar se está dentro do peso ideal ou não. Isso é importantíssimo, pois é um dos parâmetros para verificar a boa saúde da pessoa, já que estar muito abaixo ou acima do peso ideal pode significar aumento de aparecimento de doenças, como desnutrição, fraqueza, AVC, obesidade, etc.

O cálculo do IMC deve ser feito usando a seguinte fórmula matemática: Peso ÷ altura². Ou seja, você vai pegar a sua altura e multiplicar por ela mesmo (ex.: você mede 1.65m. Então será 1.65 x 1.65). Depois você vai pegar o seu peso atual e dividir por esse resultado. Então vamos supor que você meça 1,65m. A conta será: 1,65 x 1,65 = 2,72. Agora vamos supor que você pese 80kg. A conta será 80 ÷ 2,72 = 29,41. Pronto! O seu IMC é 29,41. Para ficar mais fácil você pode usar a calculadora do meu site (www.robertocabezas.com.br), que já te dará o resultado só de você colocar seu peso e sua altura, além de ter uma tabela com o que cada IMC significa.

Para receber a indicação da cirurgia você precisa ter um IMC que se enquadre nas características abaixo:

  • IMC acima de 40, independentemente da presença de comorbidades*;
  • IMC entre 35 e 40 na presença de comorbidades*;

*Comorbidade é um termo usado quando há 2 ou mais doenças em um mesmo paciente, ou então é usada para definir as doenças que aparecem ou se intensificam com a obesidade, como depressão, disfunção erétil, hérnias discais, asma grave não controlada, diabetes e hipertensão e muitas outras.

A obesidade mórbida é definida como um índice de massa corpórea maior que 40 e apresenta consequências mórbidas orgânicas ou psicossociais, como falta ou dificuldade de mobilidade, interação social, problemas sérios de respiração, coração, pressão, diabetes, etc.

Outro ponto a ser observado é em relação à idade, já que cada faixa etária possui suas singularidades e características próprias, podendo agravar o quadro da doença e/ou determinar os riscos do procedimento cirúrgico.

Para que a pessoa se enquadre nas determinações da OMS é preciso seguir o quadro de idades pré-determinado pela organização, que vai determinar como o caso será avaliado:

  • Abaixo de 16 anos: exceto em caso de síndrome genética, quando a indicação é unânime, o Consenso Bariátrico recomenda que, nessa faixa etária, os riscos sejam avaliados por cirurgião e equipe multidisciplinar. A operação deve ser consentida pela família ou responsável legal e estes devem acompanhar o paciente no período de recuperação.
  • Entre 16 e 18 anos: sempre que houver indicação e consenso entre a família ou o responsável pelo paciente e a equipe multidisciplinar.
  • Entre 18 e 65 anos: sem restrições quanto à idade.
  • Acima de 65 anos: avaliação individual pela equipe multidisciplinar, considerando risco cirúrgico, presença de comorbidades, expectativa de vida e benefícios do emagrecimento.

E, por último, é preciso verificar o caso em relação ao tempo da doença, onde a pessoa deve apresentar IMC e comorbidades em faixa de risco há pelo menos dois anos e ter realizado tratamentos convencionais prévios, como dieta, acompanhamento com endocrinologistas, exercícios físicos, etc. Além de ter apresentado, segundo os dados clínicos colhidos do histórico do paciente, falha ou extrema dificuldade de sucesso nesses tratamentos convencionais, tornando a cirurgia como uma das únicas opções para a perda de peso e combate à obesidade.

Por isso é tão importante fazer sempre um acompanhamento prévio e agendar o quanto antes uma consulta com um cirurgião bariátrico. Assim ele poderá verificar o seu caso, saber da sua situação e avaliar qual será o melhor método para te ajudará a vencer a obesidade. Caso você se enquadre nos pré-requisitos solicitados para a indicação cirúrgica você deve ter ciência, também, que a cirurgia será o primeiro passo da sua jornada para vencer a obesidade e conquistar uma vida saudável. Depois da cirurgia você terá de fazer um acompanhamento com uma equipe multidisciplinar, fazer dieta, exercícios físicos, mudar seus hábitos alimentares e de vida, etc. Mas com foco e determinação você poderá colocar um ponto final nessa história de obesidade e começar um novo capítulo da sua vida, com muita saúde e disposição.