Obesidade

A obesidade é uma doença caracterizada pelo excesso de gordura no corpo. Atinge cerca de 600 milhões de pessoas no mundo, sendo 30 milhões somente no Brasil. E, se fomos incluir a população que tem sobrepeso, esse número sobe para 1,9 bilhão de pessoas no mundo e 95 milhões de brasileiros. São números alarmantes para a saúde.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) projeta um cenário ainda pior para os próximos anos e reitera que a epidemia da obesidade está ligada ao aumento da oferta de alimentos energéticos e com muitas calorias.

As principais causas de obesidade são: fatores genéticos, ambientais e emocionais e também de estilo de vida.

 :: Estilo de vida

Os hábitos de vida contemporânea favorecem o consumo exagerado de alimentos de alto valor calórico, mas com pobre qualidade nutricional. Essa ingestão excessiva também pode ser desencadeada por transtornos de compulsão alimentar.

:: Atividade física

O sedentarismo é outra causa indutora da obesidade. É necessário tentar incluir atividades físicas regulares na rotina diária. O gasto energético vem diminuindo com os confortos da vida moderna.

:: Tendência genética

As pesquisas mostram a relação entre herança genética e obesidade. Normalmente, pais com peso normal têm em média 10% dos filhos obesos enquanto que quando um dos pais é obeso, 50% dos filhos certamente o serão. E, quando ambos os pais são obesos, esse número pode subir para 80%.

:: Problemas hormonais

Alterações nas funções das glândulas tireoide, suprarrenais e da região do hipotálamo também podem provocar a obesidade.

Prevenção

Apesar da relevância dos fatores, principalmente, os genéticos no desenvolvimento da obesidade, essa situação pode ser evitada, a começar pela educação das crianças dentro de casa e na escola. É importante sempre optar por refeições e lanches saudáveis e, de preferência, não comprar alimentos industrializados e ricos em gordura. Além disso, doces, frituras, refrigerantes e até bebidas alcoólicas podem ser consumidos, mas em ocasiões específicas e sempre com moderação.

Além da alimentação saudável, rica em carnes magras, vegetais, frutas e massas integrais, deve-se manter a prática regular de exercícios físicos. Atividades como esportes coletivos, corrida, dança, caminhada e ciclismo, por exemplo, além de fazerem bem ao corpo, são fontes de prazer e socialização.

Doenças associadas

:: Diabetes

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 246 milhões de pessoas (cerca de 6% da população adulta mundial) sofrem de diabetes. No Brasil, estima-se que 11 milhões de pessoas tenham a doença.

A epidemia de diabetes tipo 2 está associada diretamente à obesidade. As principais causas da incidência da doença são estresse, hábitos alimentares não saudáveis e vida sedentária. Por isso, pessoas com excesso de peso têm risco de desenvolver diabetes três vezes superior ao de pessoas com peso normal.

:: Problemas articulares

O excesso de peso causado pelo acúmulo de gordura no corpo sobrecarrega todo o organismo, mas, principalmente, a coluna vertebral é afetada. Na pessoa obesa, o peso do corpo pressiona as vértebras e desgasta as articulações, podendo ocasionar hérnia de disco.

Além disso, é comum o paciente sofrer com dores na coluna e nas articulações dos membros inferiores, como joelhos e tornozelos. Com a redução do peso corporal, é possível aliviar a carga sobre a estrutura óssea, suavizar as dores e minimizar a incidência de problemas articulares mais sérios.

:: Hipertensão arterial

O excesso de peso corporal está diretamente relacionado com a hipertensão arterial. Hábitos de vida não saudáveis, como sedentarismo e consumo exagerado de alimentos industrializados ricos em sal, ajudam a aumentar os níveis de pressão arterial.

Estudos demonstram que, com a redução do índice de massa corpórea, a cirurgia bariátrica tem impacto significativo na diminuição da circunferência abdominal, da pressão arterial, da frequência cardíaca e dos níveis de colesterol ruim (LDL), além de promover o aumento do bom colesterol (HDL).

:: Outras doenças

A condição de obesidade grave está associada também a outros problemas de saúde, como dificuldades respiratórias e apneia do sono, risco aumentado de embolia pulmonar por alterações da coagulação sanguínea e até alguns tipos de câncer (de útero, mama e intestino grosso, entre outros).

Deficiências de vitaminas e minerais também podem estar presentes na obesidade. Muitas pessoas não fazem refeições saudáveis, substituindo-as por comidas gordurosas e frituras, que não fornecem ao organismo os nutrientes necessários.

CALCULE SEU ÍNDICE DE MASSA CORPÓREA

Fórmula do cálculo * PREENCHA TODOS OS CAMPOS

O índice de massa corpórea é calculado dividindo-se o peso, em quilos, pela altura, em metros, elevada ao quadrado (peso / altura²).

Digite o peso (Kg)

Digite a Altura (M)


IMC:

Cia Web Sites - Agência de Marketing Digital - Criação de Sites - Otimização de Sites